Traduzir

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

terça-feira, 10 de julho de 2012

Escrito de pensar, sem caneta

Tenho escrito tantos livros. Livros inacabados. Inacabados porque não são livros escritos e qualquer coisa é capaz de fazer com que eu mude de história e esqueça uma, depois vem outra, mais uma e aqui estou eu: Livros de mil páginas e livros só com uma.
Começa assim:
Um passarinho atravessa meus olhos e eu começo a escrever; " Um pássaro passou por mim e calmamente pousou em um banco daquela pequena praça, era pequeno também, de peito amarelo, não cantava porque..."
E não escrevo mais. Algo ou alguém fez-me parar de escrever e esse alguém era um homem; "o homem cortava árvores, eram árvores de Ipê amarelo. Lindas, caídas do chão, ninguém soube me explicar o motivo. 3 árvores, menos três primaveras de cor amarela naquele lugar, até que..." E já é outro livro que eu escrevi sem  papel, nem caneta. É assim que acontece, vou lembrando dos livros que escrevi e escrevo, só aqui escrevi dois, escrevi mesmo.

Mariana Zogbi

0 comentários:

Postar um comentário

Conte-nos o que achou da postagem! Deixe seu comentário!

Procure aqui!

Quer receber as postagens? Cadastre seu e-mail!